Menu

Tag: Reaproveitar Lixo

Meio Ambiente

Conheça a Cidade de Borás na Suécia Que Reaproveita 99% do Lixo Produzido

reciclagem de lixo na Suécia

Em São Paulo, somente, 1.5% do lixo produzido é reciclado o que é bem ridículo e pouquíssimo. Noutra perspectiva, vamos te apresentar uma cidadezinha na Suécia que é exatamente o contrário.

Nesta cidade, 99% de todo o lixo é reaproveitado! Para exemplificar, havia um rio neste local que já foi esgoto a céu aberto. Era tão poluído e fedorento que no verão ninguém ousava passar sequer perto dele. Uma década depois, o rio é o símbolo da determinação do poder público e dos 104 mil moradores de Borás que fica na região sul da Suécia.

Uma conscientização que começa em casa, onde o lixo é separado: orgânico nos saquinhos pretos. Inflamáveis, papel e plástico, por exemplo, que podem ser usados como combustível, nos sacos brancos.

O interessante que a companhia que recolhe o lixo na cidade dá os saquinhos de graça para que as pessoas façam a separação em casa e não precisa comprar os sacos.

No porão do condomínio, os próprios moradores fazem a triagem dos demais tipos de lixo: garrafas de um lado, latas do outro, as pilhas e baterias velhas, também, tem um lugar próprio.

O destino final desse lixo não é exatamente um fim, mas um recomeço em Borás. Nada se perde, tudo se transforma! As 200 toneladas de lixo domiciliar coletado todos os dias, nesta cidade, são trazidas para o centro de triagem.

reciclagem de garrafasO lixo orgânico vira biogás e o lixo inflamável alimenta as caldeiras de termoelétricas que produzem eletricidade. O trabalho de separação das sacolinhas pretas e brancas é automatizado. A máquina reconhece a cor dos saquinhos e faz a separação.

Nas fornalhas das termoelétricas e nos biodigestores das usinas de gás, o lixo se transforma em economia. Os moradores de Borás pagam até 50% menos na conta de luz e chegam a economizar 20% em transporte público. Os ônibus e os táxis são 100% movidos a gás, produzido com lixo!

A prefeita local diz que a grande vantagem é o fim dos grandes aterros sanitários. Em Borás, apenas 1% do lixo não serve nem para fazer gás, nem para gerar energia. É esse pequeno resíduo que vai de fato para o aterro sanitário. Todo o resto é reaproveitado, a começar pelas garrafas velhas que têm o seu valor.

É processo é todo automatizado e é só colocar a garrafa numa máquina e esta identifica a quantidade de garrafas, em seguida, dá o valor a ser recebido pela coleta. Tais postos de recolhimento ficam nos supermercados da cidade o que facilita o processo o benefício e incentiva às pessoas que usam o dinheiro das garrafas para pagar as compras. Segundo um morador, ele sai ganhando e comemora!